Browsing Tag

Montreal

Processed with VSCOcam with f2 preset
Viagens, Viajando sozinha

Montreal: um post fotográfico

Eu nunca entendi a graça que as pessoas viam em Montreal. Sério mesmo, sempre pensei que se fosse pra ir para algum lugar parecido com a França, iria para a França, se fosse para ir para algum lugar similar aos Estados Unidos, iria pros Estados Unidos.

Até que um  dia, eu comecei a acompanhar o perfil de um fotógrafo no Instagram sobre Montreal ( o Montrealismes, do fotógrafo Vincent Brillant). Aí, pronto, foi pra lista de lugares que eu tinha que conhecer e, de quebra, furou a fila.

Passei apenas dois dias na cidade,  então não tenho a pretensão de relatar tudo de bom que há para fazer por lá, mas sei que quero voltar logo.

Listo abaixo o que mais gostei na cidade:

Casinhas fofas

Não vou negar, eu fui pra Montreal foi pra ver as casinhas fofas. Elas estão por toda a parte, mas se você quiser ir em um lugar que tem uma concentração delas, faça uma caminhada nas ruas do Plateau Mont Royal.

IMG_5649

IMG_5636

IMG_5647

Overdose de parques 

Montreal tem parques e jardins para todos os gostos. Você pode passar no Parc La Fontaine quando estiver indo ao La Banquise para provar o famose Poutine, prato típico da região.

Esquilo no Parc la Fontaine

 

Pode passar um dia inteiro fazendo uma viagem pelos vários jardins do Jadim Botânico quando for visitar o Parque Olímpico e o Biodôme. Aconselho deixar pelo menos uma manhã/tarde para poder apreciar todos os jardins e espaços que o Jardim Botânico tem a oferecer, porque é realmente muito grande.

Jardim Chinês no Jardim Botânico

Jardim Chinês no Jardim Botânico

 

Campo de Girassóis no Jardim Botânico

Campo de Girassóis no Jardim Botânico

 

IMG_5689

Um dos cantinhos de paz no Jardim Botânico

 

IMG_5708

IMG_2099

Pode pegar o metrô até o Parc Jean-Drapeau na Île Sainte Hélène para andar de bicicleta e apreciar uma bela visão de Montreal no entardecer.

Vista de Montreal a partir do Parc Jean-Drapeau

Vista de Montreal a partir do Parc Jean-Drapeau

 

E, claro, pode ir ao Mont Royal e apreciar a vista mais icônica da cidade, o que eu não consegui fazer, porque minhas pernas faliram depois  de andar loucamente em todos os outros parques.

Ciclovias

Eu pedalo igual uma criança de 6 anos, mas isso não me impediu de notar como Montreal parece uma ótima cidade para quem curte pedalar. Além das ciclovias que acompanham as pistas, os parques estavam sempre abarrotados de ciclistas. Próximo ao Parc La Fontaine havia, inclusive, várias lojinhas de apetrechos pra bicletas. O Parc Jean Drapeau foi o que mais me tentou largar de lado a minha paranoia “vou cair, vou me quebrar, estou sozinha” e alugar uma bike. A ilha tem várias trilhas amplas pra bicicleta, com bastante verde e uma vista linda para o rio. Outro lugar bastante popular entre os ciclistas é o Viex Port de Montreal, que beira o rio e fica próximo da cidade velha.

IMG_5654

IMG_5627

Comida

A cidade é cheia de bons restaurantes e, devido à grande quantidade de imigrantes, você pode achar comida de todo lugar. Mas o que realmente me chamou a atenção foi a influência da culinária da França, com várias opções de padarias que oferecem croissants e outras delícias francesas. Por ter passado poucos dias, eu acabei não indo na maioria dos restaurantes e cafés que tinha planejado, mas entre os que eu fui eu destaco o La Banquise, que é o lugar para provar o Poutine, prato típico do Quebec. Confesso que cheguei lá com baixas expectativas, primeiro porque como todo mundo fala que o melhor lugar pra provar o Poutine é no La Banquise, imaginei que fosse um restaurante batido e turístico demais. Engano meu, o La Banquise tem um ambiente bem descolado e estava cheio de locais provando as 30 opções de poutines que eles oferecem. Grosseiramente falando, o poutine nada mais é do que uma grande porção de batatas fritas, com queijo salpicado e um molho que me lembra um pouco o barbecue, mas um pouco mais leve. Entre as várias opções, eu escolhi a que vinha com pedacinhos de bacon. Não tem muito como dar errado, né? Pra acompanhar, pedi uma St. Ambroise escura, afinal, para os meus parâmetros, o clima estava friozinho. Não posso dizer que foi o melhor poutine da minha vida, porque foi o único que provei, mas gostei bastante, o único “defeito” é que a porção é grande para uma pessoa.

Outro lugar legal para provar quitutes é o Marché Jean-Talon. Além das barracas de frutas e verduras, o mercado conta com uma pracinha de alimentação com opções tão variadas quanto doces poloneses, crepes franceses e comida libanesa. Se nada disso te agradar, ainda tem a opção de comer em um dos vários restaurantes e cafés que ficam em torno do mercado.

IMG_5733

IMG_2102

No Marché Jean-Talon você pode deixar o seu melhor amigo estacionado enquanto vai às compras

Eu tinha acabado de almoçar no mercado e estava caminhando pela Rue Saint-Dennis (que, a propósito, é uma ótima rua para passear), quando vi um gato na janela. Louca por gatos que sou, fui investigar e descobri que era um Café des Chats, um tipo de estabelecimento bastante popular no Japão, no qual os clientes podem tomar um café na companhia de vários bichanos. Os cafés de gatos existem em outras cidades como Paris, e esse é o primeiro do gênero na América do Norte.  É claro que entrei sem hesitar, é claro que aproveitei para tomar um chai latte e comer uma sobremesa e, é claro que tentei agarrar todos os gatos (civilizadamente, por supuesto). Fiquei por um tempo apreciando a companhia dos felinos e cada detalhe do café, que era todo inspirado em gatos, obviamente. Logo na chegada, um funcionário do café te explica todas as regras de convivência no estabelecimento e higieniza as suas mãos, é tudo bem organizadinho e a dona é um amor de pessoa, como todas as pessoas loucas por gatos 🙂

IMG_2104

O gato da janela

IMG_2109

Chats seulement – apenas gatos

IMG_2119

E, não menos importante, os quitutes do Le Café des Chats

Para crianças

Eu não tenho filhos, mas não consegui parar de pensar que Montreal seria uma cidade que eu os levaria se os tivesse, os parques oferecem opções de lazer para crianças, em vários lugares da cidade há mesas para picnics e o Biodôme e o Jardim Botânico são ótimas opções de passeios instrutivos para crianças um pouco maiores. O Biodôme, por exemplo, reproduz vários biomas do planeta, com direito a jacarés e pinguins, tudo muito bem explicadinho. Eu, pessoalmente, não achei o passeio algo imperdível para adultos,  mas acho que para crianças em fase escolar deve ser super interessante.

IMG_5722

Reprodução de uma floresta no Biodômo, com direito a calor tropical e umidade

IMG_5728

 

Como eu já disse, além dessas atrações, Montreal tem muito mais a oferecer, a cidade velha é uma gracinha e a vida universitária faz a cidade ter uma atmosfera vibrante. Espero poder voltar em breve, de preferência no outono para apreciar os parques com a folhagem avermelhada.