Browsing Tag

Frutillar

cover
Roteiros, Viagens

Roteiro pelo Chile: Santiago, Valparaiso e Região dos Lagos

O Chile é muito conhecido entre os brasileiros pelas estações de esqui e vinícolas, mas esse país fininho da América do Sul tem bem mais a oferecer. Fui ao país pela primeira vez em janeiro de 2013, em uma viagem que combinava cidades do Uruguai, da Argentina e do Chile.

Naquela oportunidade, chegamos ao Chile por Mendoza (Argentina) e fomos direto para Valparaiso, cidade costeira que fica a cerca de 120 km de Santiago.

foto 1 (3)

Valparaíso, na minha opinião, é daquelas cidade que ou se ama ou se odeia, e nós amamos! Explico: não é uma cidade fácil, a geografia é desafiante com os seus mais de 40 morros – os cerros, como são chamados, as ruelas grafitadas, vários cães e gatos de rua (e a sujeira diretamente envolvida).

porto

Mas, se essas características são detestadas por uns, são justamente o que torna Valparaiso tão atrativa para outros. Nós adoramos a sensação de ter arte por toda parte, a atmosfera politizada e cultural da cidade, vários cafés e restaurantes descolados, além da vista maravilhosa para o oceano pacífico. A essa altura vocês já devem ter notado que eu amo cachorros e gatos (mais gatos do que cachorros, verdade seja dita), então os animais não foram um problema e a canseira de subir os cerros você resolve com os elevadores. Difícil mesmo é aguentar a brisa gelada mesmo no verão, ah, essa sim incomoda um pouquinho.

foto 2 (3)

Nos hospedamos em um Bed and Breakfast  no Cerro Concepción chamado Puerta Escondida, bom, bonito e barato, só não vou dizer que foi bem localizado porque nada que é encima de um cerro é propriamente fácil de chegar, certo?

valparaiso

Aproveitamos nossa estada em Valparaiso para dar um passeio pelas praias de Viña del Mar e colocar os pés no (gelado) Oceano Pacífico! Em poucos minutos é possível chegar em praticamente qualquer ponto da região costeira de Viña pelo metrô que sai de Valparaiso.

vina dia

Eu não trocaria a hospedagem em Valpo por Viña, mas, olha, o entardecer em Viña é realmente qualquer coisa de fantástico.

Vina

Findo os nossos dois dias entre Valpo e Viña, pegamos um transfer até o aeroporto de Santiago rumo à segunda etapa dessa viagem, que seria um roteiro de 3 dias na região dos lagos chilenos. Voamos pela Sky Airline para Puerto Montt, um companhia chilena que estava com preços bem mais acessíveis do que LAN à epoca. Do aeroporto, pegamos um taxi até Puerto Varas, que foi a nossa base por esses dias. A cidade fica na beira do lago Llanquihue com o vulcão Osorno ao fundo, ficamos no Hotel Cumbre Puerto Varas, na beira do lago para poder aproveitar de forma privilegiada essa paisagem. É uma pena que o tempo não cooperou, chegamos com chuva e, mesmo depois de ela ter dado trégua, o vulcão continuou escondido atrás das nuvens. Resumindo: não vi o vulcão em nenhum dos dias que ficamos por lá! Frustrações à parte, a cidade é muito agradável, nem pacata, nem agitada demais, com boas opções de restaurantes e lojinhas. A influência germânica se faz presente na arquitetura e também na culinária da região.

varas

No dia seguinte, fomos para Frutillar, uma pequena cidade também à beira do lago, que foi fundada por colonos alemães durante o governo do Presidente Manuel Montt e preserva as influências dessa colonização em sua arquitetura e culinária. A cidade é fofíssima, repleta de flores e docerias, onde é possível provar quitutes de origem alemã e e produtos feitos com morango e chocolate, afinal, frutillar não chama frutillar em vão, né? A cidade também é conhecida por ser a capital da música, onde acontece nos verões um dos mais importantes eventos de música clássica do Chile, as Semanas Musicais de Frutillar.

Frutillar

O ideal para explorar a região é alugar um carro para poder dar a volta ao lago, conhecer as outras cidades que o circundam e explorar a região do vulcão Osorno e a Reserva Nacional Llanquihue. Como planejamos passar poucos dias, apenas para curtir a paisagem sem muitas trilhas envolvidas, optamos por não alugar um carro. Ainda assim, não foi difícil se deslocar pela região, já que as cidades contam com transporte público, uma espécie de van que faz o trajeto entre as cidades com bons preços. No fim das contas, o tempo ruim acabou tornando a nossa decisão de não alugar um carro muito acertada.

Para vocês verem que nem tudo está perdido, por ironia, acabamos tendo uma linda visão do vulcão e do lago ao fazer uma conexão em Puerto Montt em dezembro passado, quando fizemos uma viagem para a Patagônia chilena.

Para finalizar a viagem, pegamos um voo para Santiago e passamos 3 dias na cidade. Não, não deu para explorar Santiago como ela merece em apenas 3 dias,  principalmente porque já era o ultimo destino de uma longa viagem e estávamos cansados. Mas isso é assunto para o próximo post 😉