Viajando sozinha

As Montanhas Rochosas canadenses: um guia tentativo (parte 2)

Nesse post eu vou contar um pouquinho do primeiro passeio que eu fiz quando cheguei em Banff. No primeiro dia, como cheguei no fim da tarde, apenas me ambientei. Fui dar uma volta no centro da cidade, que é tipicamente parecido com essas cidadezinhas de praia e de montanha que recebem vários turistas, bem movimentado, com vários restaurantes, bares, cafés, lojinhas de souvenirs e artigos para atividades nas montanhas. Rola até um engarrafamento de pedestres no verão, principalmente considerando que era um domingo de sol.

IMG_5499

Casinhas lindas em Banff

Como eu havia passado fome o dia inteiro, já que os milhões de voos curtos American Airlines que eu peguei para chegar em Calgary não tinham nada parecido com comida e as conexões foram corridas, a minha primeira providência foi comer qualquer coisa, eu sabia que não podia escolher muito, porque já tinha saído do estágio da fome há muito tempo e podia acabar passando mal. Topei com um café, o Whitebark, e fui lá mesmo. Os muffins estavam deliciosos e o chocolate quente também. Detalhe que todo mundo estava tomando bebidas geladas por ser verão, mas pra mim 15 graus era frio o suficiente pra querer algo bem quentinho.

Em seguida fui na Brewster fechar os meus passeios para os próximos dias. Em Banff tem basicamente duas agências de turismo local, a Brewster e a Discover Banff. Eu já tinha pesquisado extensamente todos os passeios pela internet antes de chegar lá, só não tinha fechado tudo antes porque queria ver a previsão do tempo pra decidir qual passeio faria em qual dia. Hoje eu vejo que foi uma decisão super arriscada, porque no verão lota mesmo, você corre riscos reais de ficar sem passeios. Uma ideia mais inteligente teria sido reservar os passeios online antes e, se fosse o caso, trocar quando chegar lá, já que a política de cancelamento permite que você altere ou cancele até um determinado período. Os passeios que as duas agências oferecem são bem parecidos e os preços também, mas a Brewster me pareceu uma empresa bem maior, eles tem uma mega logística de passeios, um terminal de ônibus próprio, além dos ônibus serem maiores e mais confortáveis do que os da Discover Banff.

Olhar a previsão do tempo foi uma boa ideia, fechei três passeios, os dois primeiros com a Brewster e o terceiro com a Discover Banff. O primeiro dia que tinha maior probabilidade tempo aberto e sol, então decidi fazer os lagos, que eram a minha prioridade. Eu sempre acho que em uma viagem é bom ter uma gradação nas atrações que você vai ver, quer dizer, você começa do mais trivial para o mais fantástico, para não ter aquela sensação de “ah, é só isso”. Mas, no caso dessa viagem, fazer isso podia significar pegar um tempo ruim e não ver o principal, então eu fiz o inverso e comecei pelo o que eu mais queria ver.

Vamos lá. No dia seguinte fiz o primeiro passeio que se chamava “Mountain Lakes and Waterfalls”. O tour começava no Johnston Canyon. Chegando no local, você faz uma pequena trilha até a primeira cachoeira, a trilha tem uma boa infraestrutura e pouca inclinação, então creio que praticamente qualquer pessoa consiga fazer essa caminhada.

IMG_5389

Existe também uma segunda trilha até outra cachoeira, mas o tempo do passeio não permite fazê-la.

IMG_5390

Em seguida, fomos para Lake Louise, o lago de águas esmeraldas que vem do degelo do glaciar Vitoria. Próximo ao lago há um vilarejo com opções de hospedagem e comércio. Agora literalmente na beira do lago fica o Fairmont Chateau Lake Louise, um hotel com vista para o lago, onde chegamos para fazer o passeio. O hotel tem áreas comuns abertas para os turistas, com lojas de souvenirs e alguns restaurantes abertos ao públicos. O lago é simplesmente estonteante, o tempo estava ensolarado então as cores estavam super vivas.

IMG_5432

Em Lake Louise, é possível alugar caiaques para fazer passeios no lago e de lá partem várias trilhas legais, como uma que leva a uma casa de chá na beira do Lake Agnes. A Discover Banff tem um passeio específico para fazer essa trilha, entre outras.

A próxima parada foi no tão esperado Lake Moraine. Existem algumas opções de hospedagem próximas ao lago, mas a estrutura é bem mais enxuta do que a do Lake Louise, o acesso ao lago é mais difícil e durante alguns meses do ano a estrada fica inclusive fechada. Ainda não consegui decidir qual é o mais bonito, vocês conseguem?

IMG_5463

Sobre nadar no lago, digamos que eu não vi muitos registros de pessoas se banhando, apenas algumas crianças entrando no Lake Moraine por alguns minutos e mudando de ideia em seguida. Por mais que a temperatura após o meio dia dia estivesse em torno de 20 graus, a água é beem gelada, algo em torno de 5 graus.

Todas essas atrações ficam no Banff National Park, que é o parque nacional mais antigo do Canadá. Já a atração seguinte ficava no Yoho National Park, que fica na província ao lado, a Colúmbia Britânica. O Yoho tem duas atrações que eu tentei muito ver, mas não consegui passeios, que são o Lake O´Hara e o Emerald Lake, mas esse primeiro tour me permitiu ao menos conhecer um pouquinho do parque e ver Takkakaw Falls, que é uma cachoeira incrível que fica no parque (incrível é, inclusive, o significado de takkakaw em língua nativa).

IMG_5489

O entorno da cachoeira também rendeu umas paisagens bem bonitas.

IMG_5493

E esse foi o final do primeiro dia. Quando você contrata o tour, pode decidir em qual cidade quer terminar o passeio (Banff, Lake Louise, Canmore, Calgary, Jasper). Então, você pode fazer o passeio durante o dia e já ir direto para o destino seguinte no fim da tarde, o que é especialmente conveniente se considerarmos que não há muitas opções de transporte público para as outras cidades e que os taxis são bem caros. Eu acabei não usando essa funcionalidade porque passei todos os dias em Banff.

Pra finalizar o dia, fui jantar em um restaurante balcânico/grego que tinha ouvido falar super bem. Adoro comida grega e não perco a chance de provar quando viajo, o menu era bem tradicional, sem muitas inovações, pedi a moussaka e estava ótima.

IMG_2015

O restaurante também tem um bar e uma carta de coquetéis. O único contra para pessoas que estão viajando sozinhas e, nesse caso, indo jantar sozinhas, é que é um restaurante de familia e de grupos, sabe? então é um salão grande, com várias mesas enormes, cheio de grupos grandes, o que dá aquela sensação de que você fica ilhado entre os grupos. Mas nada que sentar no bar não resolva 😉

E assim terminou a minha segunda-feira.

Previous Post Next Post

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply